Breve eu sairei da tua vida
E tu da minha
E periga eu não ser mais nem uma lembrança
Talvez nem penses nas manhãs de fantasia
Quando eu tecia a maciez da tua trança.
... Cedo chegará a despedida
Assim, mesquinha
E partirei na solidão da madrugada
Não mais a dor que me sufoca e me angustia
Não mais a busca de um perfume, uma pegada.

Sei que me amas
Sabes também quanto te amo
Mas nenhum amor preenche minha solidão
O teu abraço me aquece e me tortura
E os meus passos não podem ir aonde os teus vão.
São minhas chamas
Não me debato, não reclamo,
Fecho os olhos e deixo a vida me deixar
Já não há medo, não há paz, não há ternura,
E nem motivo pra sorrir ou pra chorar.

Quando as luzes finalmente se apagarem
E a grande noite envolver todo meu ser
Estarei seguro dentro dos muros do meu mundo
E ganhará sentido a solidão do meu viver.

Porém não temas, seguirei te acompanhando
Qual uma sombra estarei sempre a teu lado
Eu te admiro mesmo quando não te olho
E meu amor sempre é fiel, mesmo calado.